Contrate o Fies mesmo com restrição no nome

Muitas pessoas têm dúvidas se é possível contratar o Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior (Fies) mesmo tendo restrições financeiras em seu nome, veja a seguir que a chamada “idoneidade cadastral” não é mais exigência para se conseguir um financiamento. O Fies foi criado em 1999 com o intuito de fornecer condições aos estudantes de baixa renda o ingresso ao ensino superior. O Fies disponibiliza meios para as pessoas poderem realizar uma faculdade que seja de valor elevado como medicina, pagando somente parcelas trimestrais no valor máximo de 50 reais e pagando o restante somente depois que o curso for concluído.

Para participar do Fies, mesmo tendo restrição no nome (ou seja, caso esteja inadimplente, com o nome inscrito em serviços de proteção ao crédito como SPC ou SERASA) é necessário atender os requisitos criados pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), tais como ser aluno de uma instituição não gratuita e ter uma avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) por parte da faculdade que se pretende fazer parte do programa. Além disso, o aluno não pode estar com a matrícula trancada, ter recebido outro beneficio do Fies, deve estar em dia com o Programa de Credito Educativo (PCE/CREDUC) e sua renda familiar bruta não pode ser comprometida mais de 20% para pagamento da faculdade.

Para um curso ser apto a receber financiamento pelo Fies, ele deve ter recebido uma avaliação SINAES de grau 03, a parcela mínima de financiamento é de 50% para a bolsa, podendo ser aumentada (até 100%) de acordo com o valor da mensalidade da faculdade que recairá sobre a renda familiar bruta, sendo uma bolsa de 75% para uma renda familiar bruta comprometida entre 40% e 60% e de 100% para rendas comprometidas acima de 60%.

Contrar o fies com nome sujo

O Fies conta com uma taxa de juros de apenas 3,4% ano ano e uma carência de 1 ano e 6 meses, assim o estudante só começa a pagar depois que se finaliza o curso. Para participar do Fies é necessário para alunos que concluírem o ensino médio após 2010 a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como forma avaliativa e seletiva para ingressar no ensino superior, porém para estudantes que concluíram antes de 2010 deve ser apresentado documento que comprove essa conclusão tais como: certificado de conclusão ou diploma expedido pela escola em que ele concluiu. Com tudo isso o aluno deverá se inscrever no Fies, lembrando que muitas faculdades já aceitam o FGEDUC, onde a aluno não precisa de fiador. Caso o aluno seja bolsista parcial do Programa Universidade para Todos (Prouni) e deseje financiar os outros 50% do curso, ele esta dispensado do fiador.

Restrição no nome não é mais empecilho

Antes de 2012, para participar do Fies, os estudantes com restrições no Cadastro de Pessoas Física (CPF), ou mesmo com o nome “sujo na praça” não podiam receber o benefício do Fies, isso acarretou numa grande perda, pois segundo dados do Sindicato das Instituições Particulares (Semesp), cerca de 75 mil pessoas perderam o direito das bolsas devido ao fato de suas restrições cadastrais. O fato foi ao Ministério Público resultando em 28 de Dezembro de 2012 na Portaria nº 28, que anula a questão de que se precisa estar com o nome em dia para aderir ao programa Fies. Antes dessa medida as pessoas por já saberem que iriam ser bloqueadas nem se quer faziam a inscrição, pois já sabiam que seriam barradas no cadastro do Fies devido ter restrições no nome, estudantes com dívidas podem sim obter financiamento pelo Fies.

Esta medida que permite que mesmo com restrição no nome seja possível contratar o Fies, veio ainda mais reforçar os objetivos do Governo Federal que é a inserção de pessoas carentes ao ensino superior, e criando possibilidade de aumentar a quantidade de profissionais nos campos de ensino básico e saúde. Devido ao crédito no país estar aumentando, o grau de endividamento das pessoas também aumentou. O que força o governo a pensar em projetos que possam dar condições aos brasileiros de exercer sua cidadania.

Visto isso, é possível estudar no ensino superior através do Fies com condições mais acessíveis mesmo num estado em que o nome esteja inadimplente, pois o importante é inserir o brasileiro numa educação superior possibilitando novos campos de trabalho e oportunidades para todos. E isto se da através do Fies.

15 comentários em “Contrate o Fies mesmo com restrição no nome

  1. Gostaria de saber se posso me cadastrar no fies ,já fiz a prova da faculdade e fui aprovada,e a renda da minha familia é só um sálario minimo,tem como ser aprovada em 100% .

    • Olha Maria, eu estudo em uma Universidade Particular aqui no RJ pelo FIES, e para fazer parte do FIES você deve ter renda mínima mensal bruta de 1,5 ( um salário mínimo e meio), portanto acredito que não possa ser possível apenas com um salário. Entra no site do fies e veja mais detalhes valeu!

    • Sim, para se cadastrar no FIES, você tem que estar matriculada e com a mensalidade em dia, ou seja assim que estiver matriculada ja pode fazer o cadastro no FIES, e com a sua renda familiar e 1 salário minimo é possível pegar os 100%. Espero ter ajudado.

  2. gostaria de saber se posso participar do financiamento, estou com restrição no meu cpf devido a uns cheques que emprestei mas já vai limpar em fevereiro,não trabalho mas tenho fiador e quero muito começar minha faculdade.

  3. BOA NOITE GOSTARIA DE SABER SE CONTRATAR O FIES E DEPOIS DA CONCLUSÃO DO CURSO SE O ALUNO NÃO PODER PAGAR A DIVIDA VAI SER COBRADA PRA QUEM? VAI SER PRA O GRUPO DA FAMÍLIA QUE APRESENTOU A DOCUMENTAÇÃO. OBRIGADA AGUARDO O RETORNO

  4. Isso é muito gratificante. Porque eu tenho uma inadimplência financeira e como eu, vários brasileiros se encontra assim. E com essa nova aprovação de 28 de Dezembro de 2012 pela Portaria nº 28
    é muito satisfatório, tenho um grande sonha em fazer o curso de MEDICINA VETERINÁRIA e com FIES irei conseguir esse sonho, são programas assim que vai fazer o nosso Brasil ainda mais avançar, nos campos econômicos, políticos e educacional. Com educação o país cresce.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *