Como é feita a prova do Enem

É importante que o aluno saiba como é feita a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e também como ela é corrigida para que assim ele possa se sair melhor e também é mais uma informação que ele leva para a vida, pois informação não ocupa espaço.

Cada ano que passa o número de inscritos no Enem cresce e é possível que muitos não tenham a menor noção de como funciona, por exemplo, o sistema de correção da prova do Enem, se soubesse disso algumas coisas mudariam, por exemplo, deixaria de lado a ideia de “chutar” na prova.

A prova do Enem é composta atualmente por 180 questões divididas em quatro áreas de conhecimentos (Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Códigos e Matemática) além da redação. Essas questões são aplicadas em dois dias de prova, geralmente uma tarde de sábado e de um domingo. As perguntas são todas objetivas com 5 opções de respostas e candidato deverá escolher apenas uma. Todas as questões trazem um texto base seguido da pergunta, inclusive uma reclamação de muitos é que esse texto base às vezes é muito grande.

Até aqui a maioria já sabe da composição da prova do Enem, o que poucos sabem é que essas questões são elaboradas por professores universitários e que o Inep tem um banco de questões muito grande dizem que chegam a 10 mil questões. Essas questões são sorteadas na hora da escolha de quais irão compor a prova do Enem.

Há outro detalhe é que é realizado um pré-teste dessas questões com alunos do Ensino Médio sem que eles saibam para que assim o Inep possa classificar quais questões são fáceis, médias e difíceis. Você entenderá logo em segui da o motivo desse pré-teste.

Saiba o que é TRI

tri-prova-do-enem

Você sabe o que é TRI? Diferentemente das provas convencionais que fazemos por aí como provas de faculdade, de ensino médio ou de concurso público, a prova do Enem é calculada pela Teoria da Resposta ao Item (TRI). A TRI é uma modelagem estatística que mensura determinas coisas que a Teoria Clássica das Medidas, que consiste em atribuir notas a partir do número de acertos, descontados os erros, não consegue. Uma das coisas que a TRI consegue mensurar é se o candidato “chutou” em determinada questão ou não.

O pré-teste realizado com os alunos do ensino médio para compor o banco de questões do Enem ajuda a classificar as questões em fáceis, médias e difíceis, como já dito anteriormente. Assim 25% das questões são fáceis, 50% das questões são médias e os outros 25% das questões restantes são difíceis. O aluno não sabe no dia da prova qual questão é fácil, média ou difícil, pois elas estão misturadas ao longo de toda a prova. Uma das coisas que dá para saber se o candidato “chutou” na prova é quando ele erra um número grande de questões fáceis e acerta um número grande de questões difíceis, não há lógica que isso aconteça, então por esse sistema chega-se a conclusão que o candidatou nem se deu ao trabalho de tentar realizar as questões, simplesmente “chutou”, ou até tentou, mas realmente não sabia e “chutou”.

Por causa desse sistema cada questão pode ter um peso diferente a depender do aluno, por isso que alunos que tiveram o mesmo número de acertos poderão ter notas diferentes. Quando se utiliza a TRI não existe prova fácil ou difícil ou conhecimento está no indivíduo e não no instrumento de medida.

Podemos dizer que a TRI deixa a prova mais justa, pois candidatos mais bem preparados não serão superados por pessoas que tentam a sorte “chutando” nas questões, algo que pode ocorrer em um concurso público. A TRI possui algoritmos que privilegia que acerta itens dentro de um padrão de coerência.

Esse sistema de avaliação não é utilizada apenas no Brasil e não foi criado exclusivamente para o Enem, existe em outros lugares do mundo e é utilizado para diversas coisas, mas se tornou mais conhecido para muito no Brasil por causa mesmo do Enem. Se o aluno conhece essas forma de montagem e de correção da prova saberá que de nada adianta ir fazer a prova dependendo da sorte, saberá que dependerá realmente de sua dedicação e de seu preparo.

A redação no Enem também segue critérios de correção e que há pouco tempo houve mudanças, é interessa também que você saiba mais sobre eles, para isso basta ler outro texto clicando aqui.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Top